12 de jan de 2010

Reflexão abrangente

Vendo uma revista sobre homosexualismo, lembrei de uma conversa antológica que tive com a minha caseira - Verônica - a um tempo atrás sobre o tal assunto.
E que foi a seguinte:

Verônica: Isso é coisa do demônio!! Da escuridão!!
Eu: Cara, calma. Não tem nada a ver com isso. Apenas é uma questão de gosto.
Verônica: Não é!! Isso não está certo!! Isso é bacanal!
Eu: Peraí, vc está confundindo as coisas. Vc está vendo muito filme de hollywood que é completamente apelador quando se diz respeito a sexualidade.
Verônica: Não!! Adão e Eva são o que? Homem e mulher! Então o certo é homem e mulher!! Tem um encaixe, entendeu?
Eu: Presta atenção, ok, vc pode até pensar dessa forma... Mas não radicalize. Tradicional é homem e mulher? É, mas não significa que seja o certo. Eu acho escroto sim mulheres se pegando em festa para aparecer, isso eu acho uma banalização absurda (mais é algo que chega a ser natural, infelizmente, devido ao crescimento rápido do homosexualismo). Mas há pessoas que gostam - de verdade - de se relacionar afetivamente com pessoas do mesmo sexo. É algo puramente orgânico. A pessoa gosta e pronto, e que seja muito feliz assim. É algo diferente - em termos tradicionais - , sim, é, mas não é errado de forma alguma. Isso mostra a evolução do ser humano e de suas atividades sociais.
Verônica:.....? NÃO ESTÁ CERTO DO MESMO JEITO!
Eu: Tá bom, Verônica (resmungo: porra, foda-se tb)

Ok, vivemos em classes sociais totalmente diferentes e o seu único meio de informação é a TV que só pega - BEM- a Igreja Universal e a Band ou a Record (que a maioria dos filmes são apelativos). Isso não é preconceito, é realidade e tem de ser levado em consideração sim. Bom deixar claro que não estou a menosprezando, de jeito nenhum.
Só que tem certas coisas que independem da sua classe social.
Ela nem sequer escuta o que eu digo, ela está com aquilo fixo na cabeça imposta pelo pastor da igreja dela. Ela não quer procurar saber e ponto final. Mesmo que não procure, ela não quer nem escutar.
Para julgar algo, tem de procurar, saber, analisar, refletir e depois argumentar. E isso é algo puramente espontâneo que o cérebro faz quando escuta a opinião de outra pessoa - a pessoa até pode ignorar isso depois, mas que acontece, acontece. Se a pessoa tiver um senso critício então, esse processo só ocorrerá mais rapidamente.

Para haver evolução - em todos os aspectos - o conhecimento é a arma essencial para isso.
Observar um ponto de vista sobre vários ângulos é um bom começo.

Então, pare de ver Hebe e/ou Fazenda e vá ler um livro (não vale Crepúsculo)
Ok, BBB10 pode só de vez em quando.

#Ficadica

Beijinhos

Um comentário:

Matheus disse...

Eu fico muito triste com esse preconceito todo contra os homossexuais. Eu mesmo fazia questão de discutir sobre esse assunto, mesmo em uma época em que ninguém falava disso (porque não achavam que era preconceito, vê se pode).

Só que hoje em dia eu não discuto mais sobre isso com qualquer pessoa. Imagine você como era quando eu abria a boca pra falar sobre o assunto - as pessoas sempre pensavam que eu era tudo, menos hétero. Era muito complicado... =(

Estou dividido. Por um lado, eu tenho vontade de dizer que você não deveria desperdiçar sua energia discutindo com pessoas de mente tão fechada (porque é o mesmo que discutir com uma porta, só que a porta não vai te dar patadas nem te insultar).

Mas por outro lado, não parece legal da minha parte dizer uma coisa dessas, pois isso é o equivalente ao velho cansado que diz pra jovem idealista desistir de lutar, só porque ele mesmo não teve sucesso fazendo aquilo. Não seria justo com você. =\

Sei lá, acho que o negócio (pra variar) deve estar no meio termo. Ou seja, nunca desista de lutar por essa causa nobre, mas quando a pessoa em questão começar a dizer que isso não é de Deus, ou algo assim, pula e parte pra próxima, rs. =P